Talvez amar alguém seja o único ponto de partida para tornar nossa a nossa vida.

quinta-feira, julho 6

Estrelas

Bom dia.
O raio de sol bate a janela.
Todo o caos não esta mais aqui.
Tudo é, esta organizado
Como uma teoria em um livro de matemática da sexta série.

Começava a 14 bilhões de anos.
Surgindo o tempo, o espaço e a matéria numa explosão imensa
Por tempos pouca complexidade pois ainda não existiam todos os átomos
Era preciso fabricá-los como em forja

Ééé.....Imensas Estrelas, vocês que iluminam esse universo
Você que me acorda todos os dias me dizendo: Vai la garoto
Deram vida ao Carbono, Ferro, Ouro e todos os outros
Possibilitando a continuação

Depois de mais alguns bilhões de anos
Muitas mortes estrelares,
Muito caos
Calores descomunal
Frios Absolutos
Meteoros
Explosões

Estou aqui mais uma vez, pensando em você.
Admirando cada instante e cada pequena partícula que esta em mim.
O céu, o ar bonitinho ali preso por milhares de anos. Ho gravidade.

Quantas forças, quantas reações química, quantas transformações
Como isso pode caber em uma mente?
Como pode caber a existência e o espaço de 13,8 bilhões de anos luz em mim?

Talvez eu tenha a resposta ao olhar em copo d'agua.
H20 simples, 3 átomos, 2 tipos e o fundamento de tudo
A origem pra si mesma do Planeta Água
Fluida, transparente o alimento da alma

É isso tudo, só esse universo imenso de tudo que já existiu.
É só isso tudo que sou, que somos
E eu preciso dizer isso
Porque isso é o que é
É o que existe

É a Verdade

VA

terça-feira, março 28

Kierkegaard

Arrebato não só a tua alma!
Penetrarei em seus olhos como um gigante
Que tem o grito da natureza
Alcançando desde o tom mais baixo e mais profundo
Ao mais agudo e mais alto.

Te calarei com o olhar
Que silencia ate o maior amor dos Deuses
Criarei em vc tal sentimento que nunca existiu

Tornarei a sua vida a maior dureza
Pois estou farto dessa vida de felicidades fáceis
De toda uma sociedade perdida.
Em palavras de superfície.

E vc nunca mais verá a vida simples que passa
Agora vc será sempre como um lince
Com os olhos q tudo vê

E agarra.

VA

segunda-feira, março 27

Sexo

Em tempo de Guerra
O Gigante não acordou
E ainda somos cegos
E não aprendemos a ler
Somos incapazes de escrever frases coerente
Na nossa própria vida

Eu abro mão mais uma vez da minha felicidade
Em nome da minha existência
Poderia sub-existir ou sobreviver
É uma escolha dura
Foram tantos sentimentos
Tantos momentos de completude
Uma vida compartilhada
Embolada em
Giros
Corridas
Tapas
Mordidas
Gritos
Toques
Sexo

Escolher dói
Dói, rasga
O que antes era fácil
Como beijar a sua perna.

Agora estou eu aqui, calmo
Sozinho
Muitas vezes maravilhado pelo cinema
Pelas sutilidades de estar vivo.
Olhando as ruas os prédio
Percebendo as pessoas em seus carros
Pessoas que passam desamparadas

Muitas delas brigam nesse domingo
Queria que soubessem ler
Pois do pouco que me dói nessa vida
É o fato de vivermos tão só
Com tantas certezas
Pra tão pouco conhecimento

Eu aqui querendo um abraço
Implorando por um beijo
Rezando por uma conversa que faça sentido

Não estou triste
Desapontado
Desamparado
Não sinto culpa, remorso
Não quero voltar atrás
Não me arrependo

O que me move é essa vontade de sentir mundo.
E aqui estou eu pleno, puro
De braços abertos e peito rasgados
Com os olhos imensos

É duro mas é belo.
Que o estado exploda!

VA

segunda-feira, junho 8

Amor Fati

É desejar ser esse escravo que sou.
Escravo das minhas pulsões
Escravo das minhas razões.
E ainda alguns brigam pela liberdade do ser.
Só penso: que doce ilusão.
Amor Fati
Amor pelo destino
Conseguir pensar sobre a complexidade
Nas pequenas e micro estruturas de poder
É analisar cada pequena formiga.
É amar cada uma daquelas perninhas.
Amor Fati é dizer
Morte eu te amo aqui
Vc é o vazio por excelência
Mas se você é meu Devir
Vou lhe beijar a boca enquanto me consome.
E assim vou pensando
E finjo pra mim mesmo que sinto
Em escravidão
Ha, se eu fosse livre.
Ha, se o mundo fosse outro
Ha, se eu fosse Niilista
Mas eu amo mesmo é minha escravidão
Eu desejo mesmo eu
Me tornar que sou
Nada mais
Nada

VA

domingo, julho 28

Banquete de sangue e felicidade

O fluido da vida.
Capaz de transportar pelos mais pequenos caminhos
Toda a essência humana.
Depois de muito sentimento, me imagino na celebração perfeita

Nas ruas os corruptos sendo esquartejados aos gritos.
Enquanto seus amigos são triturados e pulverizados ao ar
Num banho de pura agressividade.
Onde os fortes por ali sorriem e festejam
Saboreiam todo aquele gosto férrico

Degustando toda a complexidade de suas percepção
Sentindo no corpo avermelho
Que nenhuma criança jamais chorará de fome novamente.
Devorar um delicioso coração de quem um dia
Roubou a comida de uma mesa totalmente indefesa.

Queria o sabor aqui, no meu rosto.
Todo ensanguentado por arrancar carne.
Enquanto uma multidão dilacera quem um dia lhe tomou a alma.
É a voracidade de todos e/em tudo aquilo que lhes foi tirado.

O maior festejo....
Eu olho para os céus e dele chove, todo o sangue.
Vermelho, pois atrocidades não passaram por ali durante um bom tempo.
É o sangue que lavaria
Todos os machucados de uma população cansada de ser explora.
Toda a escravidão.
Todo o descaso.
Toda a mazela com o "Homem".

O sangue que lavaria a mundo.

sábado, junho 8

Tive vontade de chorar


Ontem, no carro
Parado ao sinal
Vi uma menina linda a atravessara rua
Loira, de shortinho.
Meiga, delicada, na sua condição
De pessoa normal
Eu a admirar a sua simplicidade, delicia.

Quando passa um motoqueiro
Aqueles de capacete todo adesivado, colorido
Aquele cara despreocupado
Que já caiu milhares de vezes
Que curte ser moto-boy
Sente a vida passando
Varias vezes ao dia
Em seus olhos e na brisa da linda cidade
Mas a principio ele não enxerga isso

Mas então, ele não em súbito
Mas em plena condição de sua existência
Diminui a velocidade
Quase que como uma foto aos meus olhos
Olha profundamente, desejosamente para e menina
E lhe manda um beijo
Com toda a expressão corporal que lhe cabia
Ali montado, naquela moto...
Sinto que se pudesse
Ele ajoelharia aos pés daquela mulher.
E lhe faria sentir a mulher mais desejada do mundo

Tive vontade de chorar
A vida parecia tão linda, tantas cores
Aquela blusa verde, tão apertada e shortinho jeans
O sol brilhava, como se iluminasse aquela cena.
Para me mostrar toda aquela complexidade da vida.
Todo aquele ritual de exaltação.
Toda a beleza de estar vivo.

Vinicius A.

quarta-feira, janeiro 23

Meu agradecimento

Eu queria agradecer a todas as mulheres que passaram por mim
Agradecer a mulher que no ônibus segurou em mim
E mesmo assim caiu
Agradece a doçura de me elogiar no meu momento mais autista
Agradecer a Mayara pelo meu primeiro beijo
A menina que reparou no meu pequeno gesto de lhe abraçar

Queria agradecer a poeta que me recitou um poema
Agradecer a mulher que me acalmou na cama no momento mais nervoso.
A menina que criou planos assim que seriamos pais
Eu queria agradecer a professora que me ensinou a calcular
A mulher cruel e inteligente que me ensinou a calcular

Eu queria agradecer a todos os beijos românticos
A todos os passeios de mãos dadas
A todos os olhares desejantes de amor

Eu queria agradecer a menina louca que se abriu a mim
Agradecer as mentiras contadas.
Agradecer a minha mãe
Não por me dar a vida e me aguentar ate ate hoje.
Mas agradece-la por desde os 2 anos me levar à vida
Passeando pelas ruas da minha gigantes, extraordinária cidade
Enquanto eu olhava perdido e maravilhado para todos aqueles futuros

Agradecer a minha psicologa que ficou louca comigo
A menina pequena q caiu nos meus galanteamentos.

Agradecer a todas as mulheres por tonar a existência possível
Com seus cabelos
Com suas mãos
Com toda essa sua capacidade de colorir a vida!
Colorir a minha vida.